O Google pode detetar conteúdo de IA? Evitar ser penalizado (2023)

Está a pensar se o Google consegue detetar conteúdo de IA? Então, está no sítio certo. Continue a ler.

Desde que foram introduzidas aplicações de IA como ChatGPT e Jasper, toda a indústria de criação de conteúdos e SEO mudou.

O que antes levava horas de pesquisa pode agora ser produzido com um estalar de dedos.

Com a quantidade de tempo e dinheiro que as empresas poupam, poder-se-ia pensar que os escritores humanos em breve ficariam sem emprego. Felizmente, isso não é exatamente verdade.

Milhões de escritores e criadores de conteúdos dependem da monetização do Google através de fluxos como as receitas de anúncios.

A pergunta que todos faziam quando estes modelos linguísticos de IA foram lançados era: O Google pode detetar conteúdo de IA? E se podem, como é que isso afecta a sua classificação SERP e SEO?

Demorou algum tempo até que a Google se pronunciasse sobre a sua posição relativamente aos conteúdos gerados por IA.

Agora que sabemos como a empresa se sente, é altura de considerar formas de evitar ser penalizado e, ao mesmo tempo, utilizar as vantagens da IA.

O que é conteúdo escrito com IA?

No início, tínhamos aplicações chamadas content spinners ou article spinners. Esses programas pegavam em artigos existentes e misturavam-nos para criar "conteúdo original". No entanto, o resultado era um artigo mal escrito que muitas vezes perdia elementos críticos como palavras-chave.

Anos mais tarde, a tecnologia de IA evoluiu ao ponto de, em breve, poder ser indistinguível do conteúdo humano. Quer se considere que é benéfico ou prejudicial, é verdadeiramente um testemunho do poder da inovação humana.

Então, o que é conteúdo escrito por IA? É qualquer conteúdo que tenha sido escrito principalmente por uma ferramenta que utiliza inteligência artificial e aprendizagem automática.

Este conteúdo é criado através da apresentação de um pedido que fará com que a ferramenta de IA forneça o resultado com base nas suas instruções.

Muitas destas ferramentas são capazes de aprender e continuar a melhorar os seus resultados com o aumento da utilização.

O Google consegue detetar conteúdos com IA?

Esta é a pergunta a que todos os criadores de conteúdos querem saber a resposta: O Google consegue detetar conteúdo gerado por IA?

Atualmente, a SEO é diferente do que era no tempo dos spinners de artigos. O Google também evoluiu e adaptou-se à paisagem em mudança, pelo que o que recompensava no tempo do enchimento de palavras-chave já não é o que recompensa atualmente.

Então, o Google pode detetar conteúdo escrito por IA? Sim, pode.

Achava mesmo que uma das empresas tecnológicas mais poderosas da história não teria detectores de IA melhores do que aqueles que podemos subscrever?

O Google sabe perfeitamente a diferença entre conteúdo de IA e conteúdo humano, mas não é isso que importa.

A verdadeira questão que deve colocar é se o Google se importa com a utilização de IA, porque essa resposta tem um impacto muito maior na monetização e na classificação do seu conteúdo.

Como é que o Google detecta conteúdos com IA?

Apesar da sofisticação da sua tecnologia, os detectores de IA da Google procuram principalmente os mesmos padrões na escrita que qualquer outro detetor. Utiliza uma série de algoritmos de aprendizagem automática que podem melhorar a deteção à medida que mais conteúdo é analisado.

Tal como acontece com qualquer detetor de IA, o Google apenas equilibra a probabilidade de o texto ter sido escrito por IA. Procura padrões na escrita que tendem a indicar que o texto foi escrito por IA e não por um humano.

Coisas como a escolha de palavras, a estrutura das frases, a sintaxe e o estilo gramatical previsível são todas características da geração de IA.

Provavelmente já reparou que o conteúdo escrito por IA soa normalmente bastante robótico e mecânico. Isto deve-se ao facto de as ferramentas de escrita de IA tentarem utilizar comprimentos de frase e sintaxe semelhantes para grande parte do seu conteúdo.

Os detectores de IA também analisam a perplexidade e a explosão. Em termos de conteúdo, a perplexidade é essencialmente o grau de imprevisibilidade do texto para o leitor.

Geralmente, os escritores querem ser claros e concisos e é assim que as ferramentas de escrita da IA são treinadas. Quanto menor for a probabilidade de o resultado confundir um leitor, melhor. Uma classificação de perplexidade baixa é normalmente um sinal de alerta para os detectores de IA.

O carácter explosivo refere-se à variação do comprimento e da estrutura das frases. Literalmente, o quão explosivo soa quando se lê o conteúdo.

As ferramentas de escrita de IA escrevem com comprimentos e estruturas de frases muito consistentes em comparação com os escritores humanos. A explosão é outro sinal revelador de que foi criada por uma ferramenta de IA.

Processamento de linguagem natural e aprendizagem automática

O processamento da linguagem natural ou PNL, como também é conhecido, é a tecnologia que permite aos computadores e ao software compreender a linguagem humana.

Os algoritmos de aprendizagem automática são utilizados para identificar padrões e tendências previsíveis nos conteúdos. Estes algoritmos aprenderão e evoluirão à medida que a tecnologia de IA o fizer, permitindo-lhes identificar continuamente estas tendências à medida que mudam ao longo do tempo.

O Google utiliza ambos nos seus algoritmos para analisar amplamente o conteúdo da Internet. Em conjunto, a PNL e a aprendizagem automática podem determinar o grau de utilidade do conteúdo em relação ao que o leitor pesquisou.

Não se trata apenas do número de palavras-chave que podem ser encontradas, trata-se de encontrar o conteúdo que mais ajuda o leitor com base no que ele procura.

Aprendizagem profunda e modelos linguísticos

A aprendizagem profunda e os modelos de linguagem mergulham mais fundo no nível superficial da IA. Estes dois conceitos são exemplos do quanto a IA evoluiu nos últimos anos.

A aprendizagem profunda fornece às ferramentas de IA a capacidade de analisar e compreender padrões linguísticos sofisticados.

A IA está sempre a aprender e quanto mais sugestões lhe forem dadas e mais conteúdos consumir, mais irá melhorar os seus resultados no futuro.

É aqui que a aprendizagem profunda entra em ação. As ferramentas de IA podem extrair dados até mesmo dos conteúdos mais mal escritos e utilizá-los para fornecer melhores resultados de conteúdo.

Os modelos linguísticos são plataformas como a GPT-4 da OpenAI ou a Claude AI da Anthropic, que podem produzir textos com base em instruções humanas.

Pense em dar instruções ao ChatGPT. Não só está a aprender com os prompts que introduz, como também está a procurar contexto na Internet, o que lhe permitirá criar conteúdos com base na sua lógica aprendida.

Análise de conteúdo e compreensão semântica

A análise de conteúdo e a compreensão semântica são as duas últimas formas através das quais a Google pode identificar conteúdo escrito por IA. Os seus algoritmos efectuam análises de conteúdo que podem identificar os principais tópicos e assuntos do texto.

A compreensão semântica permite que os algoritmos de IA do Google compreendam as palavras e o significado por detrás do conteúdo. Se ambos conseguirem identificar que o texto é útil para o leitor, o artigo terá provavelmente uma classificação mais elevada na página de pesquisa do Google.

Porque é que a Google tentaria detetar conteúdos de IA?

A premissa subjacente à Pesquisa Google é que pode encontrar a resposta que procura em poucos minutos ou mesmo segundos após a pesquisa.

O problema com o conteúdo escrito por IA é que, muitas vezes, pode estar mal redigido ou até mesmo ser totalmente impreciso. Se estiver apenas a publicar conteúdo de IA sem editar ou verificar os factos, provavelmente não terá uma boa classificação no Google.

O Google pretende evitar artigos com classificações elevadas que sejam enganadores ou incorrectos. Isto não só não é útil para os leitores, como também diminui a utilidade geral do motor de busca do Google.

Há também a monetização do conteúdo que a Google paga aos criadores através de receitas publicitárias. Se os criadores sem ética estiverem apenas a produzir em massa conteúdo escrito por IA para obterem receitas, a Google terá motivos para intervir e pôr termo a essa situação.

O impacto do conteúdo de IA na SEO

O contacto escrito com a IA já teve um grande impacto nas directrizes de SEO do Google. Assistimos a uma mudança da ênfase nas palavras-chave para uma ênfase na experiência e no conhecimento especializado.

Nas palavras do próprio Google: agora deve ser escrever para humanos e não para um motor de busca.

A utilização de ferramentas de escrita com IA pode ter um impacto na qualidade da sua SEO, especialmente se não estiver a rever ou a editar estes resultados. O conteúdo escrito com IA é genérico e mecânico, o que afectará seriamente a legibilidade.

Se estiver a utilizar ferramentas de IA, também precisa de se certificar de que verifica os factos do conteúdo. Não é raro que a IA produza resultados imprecisos e francamente incorrectos. É o que se designa por alucinações de IA. A IA é capaz de produzir conteúdos tão credíveis que os lê como correctos, a menos que os verifique.

Talvez o mais importante agora seja o facto de a IA geralmente não escrever conteúdos como um especialista experiente e com autoridade. O Google está à procura de experiência em primeira mão dos escritores, algo que é difícil de reproduzir pelas ferramentas de IA. A menos que esteja a analisar o conteúdo da IA e a adicionar o seu próprio conhecimento em primeira mão, o seu texto escrito por IA não terá uma boa classificação no motor de busca do Google.

O impacto dos conteúdos de IA na produção (e na qualidade) de conteúdos

Historicamente, a IA tem fornecido aos utilizadores conteúdos de menor qualidade e, embora a tecnologia tenha evoluído, pouco mudou. A qualidade da escrita melhorou certamente, mas ainda não conseguiu igualar a elevada qualidade de um escritor humano.

Com as ferramentas de escrita de IA, tudo gira em torno do volume. O maior valor da utilização de uma ferramenta de IA são as horas que poupa a fazer investigação. De um modo geral, os resultados são quase sempre exactos e, se não tiver a certeza, não demora muito tempo a verificar os factos. A quantidade de texto que pode ser produzida aumentou consideravelmente e o volume de trabalho passou da investigação e da escrita para a edição e a reescrita.

O Google vai penalizar o conteúdo de IA?

Esta pode não ser a resposta que está à espera, mas sim e não. A Google afirmou que não é contra o conteúdo escrito por IA e que os sítios Web não serão punidos por a publicarem. Os sítios não serão privados de quaisquer receitas de publicidade nem serão suspensos. No entanto, há provas de que o Google penaliza efetivamente os conteúdos com IA.

Mas uma forma de o Google penalizar os conteúdos de IA é através da classificação SEO. Foi uma mudança muito deliberada no foco em SEO, de palavras-chave para conhecimentos experientes.

Se utilizar ferramentas de escrita com IA para produzir o seu conteúdo, há uma boa hipótese de os seus artigos não terem uma classificação tão elevada no Google. Se o seu site não estiver bem classificado, o seu tráfego vai cair a pique. Sem tráfego, as receitas de anúncios e coisas como ligações de afiliados não serão tão lucrativas.

Porque é que queremos evitar a deteção do Google

Então, se o Google não penaliza o conteúdo de IA, porque é que os sites ainda querem evitar a deteção de IA? Existem algumas escolas de pensamento sobre isso. Uma certa parte dos escritores acredita que o Google um dia penalizará o conteúdo de IA no futuro.

Existe a convicção de que, com tanto conteúdo de IA não penalizado na Internet, tudo se vai diluir.

Outra razão não tem a ver com as políticas da Google sobre conteúdos de IA, mas sim com a qualidade dos conteúdos que a IA produz. Ao produzir texto em massa com a ajuda da IA, continua a ser necessário analisar a qualidade, a originalidade e a autenticidade do resultado.

Se o Google detetar que está a utilizar IA para o conteúdo, é provável que esteja a levantar sinais de alerta em relação a aspectos como a estrutura das frases e a escolha de palavras. Estas são as características clássicas do conteúdo mecânico de IA que não é útil para os leitores e que também não se lê bem.

Tirar partido da IA sem penalizações

Ao produzir conteúdo de alta classificação com IA, estamos a caminhar numa linha muito ténue. O objetivo é tirar o máximo partido da IA sem correr o risco de penalização ou de uma descida na sua classificação SEO.

Pode ser um desafio, mas a boa notícia é que é possível! Eis algumas formas de utilizar a IA em seu benefício e continuar a produzir conteúdos de alta qualidade.

1) Siga as directrizes E-E-A-T do Google

Atualmente, nada é mais importante no mundo da SEO do que as directrizes E-E-A-T do Google. E-E-A-T significa Experiência, Conhecimento, Autoridade e Confiabilidade. Estas entraram em vigor em dezembro de 2022 e não é uma coincidência que tenha sido um mês depois de o ChatGPT ter entrado em funcionamento.

Porque é que é importante seguir as directrizes E-E-A-T? O Google procura conteúdos de alta qualidade que sejam, acima de tudo, úteis para os leitores. Isto inclui experiência em primeira mão, ser um especialista ou autoridade e, claro, conteúdo legível e interessante.

Se utilizar ferramentas de escrita com IA, o seu conteúdo tem boas hipóteses de não cumprir nenhum dos requisitos do E-E-A-T.

2) Utilizar Undetectable.ai para tornar o texto AI indetetável

Agora, se insiste em utilizar ferramentas de escrita com IA para criar o seu conteúdo, o mínimo que pode fazer é passá-lo por um site como Indetetável.ai. Este sítio pega no seu conteúdo escrito por IA e torna-o indetetável para os detectores de IA.

Escolha entre uma série de estilos de escrita e públicos diferentes para personalizar totalmente o seu resultado. O Undetectable altera a sintaxe, a estrutura das frases e o comprimento das mesmas para reorganizar o seu texto de forma a que pareça ser conteúdo criado por humanos.

Uma subscrição também dá acesso ao seu próprio detetor de IA, através do qual pode fazer correr o seu conteúdo para ver o seu desempenho em relação a outros sítios de detetor de IA.

O resultado do Undetectable tem a garantia de ter uma elevada taxa de sucesso contra detectores de IA populares como o GPTZERO, Copyleaks e Sapling. Tudo isto por um preço que vale a pena, pois permite que o seu conteúdo mantenha a sua classificação SEO.

Estás pronto para sentir a diferença? Experimenta o widget Undetectable AI abaixo de forma rápida e fácil (apenas em inglês). Basta introduzir o teu texto e ver como pode transformar a tua escrita!

Classificado como Detetor de IA #1 pela Forbes

3) Misturar escrita humana e de IA

Se não quiser pagar por ferramentas como a Undetectable.AI, pode trabalhar e editar o conteúdo da IA você mesmo. Este é provavelmente o caminho que a maioria dos bloggers seguirá, uma vez que, de um modo geral, estão a poupar tempo.

Para ser competente neste domínio, terá de compreender os requisitos das directrizes E-E-A-T do Google. Se estiver a editar o texto de IA apenas por editar, isso não significa automaticamente que ele será melhor classificado.

Terá de o editar de acordo com o E-E-A-T, tendo também em conta as alterações à sintaxe e à estrutura. É mais trabalhoso do que utilizar o Undetectable.AI, mas, no final, deve sair a ganhar em termos de horas gastas na criação de conteúdos.

O futuro da IA na Pesquisa Google

O que é que o futuro reserva para a IA na Pesquisa Google? A partir de agora, parece que a Google está a adotar uma abordagem de esperar para ver para penalizar o conteúdo de IA. É provável que a Google esteja a observar a indústria de criação de conteúdos para ver a rapidez com que a IA avança e se a qualidade dos conteúdos melhora.

É perfeitamente possível que o Google acabe por penalizar os conteúdos de IA. Quando as ferramentas de escrita de IA forem capazes de imitar os humanos e satisfazer os requisitos do E-E-A-T, poderemos assistir a mais restrições ao que o Google considera ser conteúdo de alta qualidade.

O que sabemos com certeza é que, à medida que a IA evolui, o mesmo acontece com os requisitos de SEO do Google. Usar estritamente conteúdo escrito por IA não é a receita para apaziguar o Google, mesmo que ele não o penalize por isso.

Reserve um tempo para selecionar seu conteúdo de IA você mesmo ou com uma ferramenta de IA como Undetectable.AI. Caso contrário, pode arriscar que a sua classificação SEO seja penalizada por não ter uma classificação elevada nas directrizes E-E-A-T.

Perguntas frequentes

O Google consegue identificar conteúdos com IA?

Sim, a Google dispõe definitivamente de detectores de IA e de algoritmos para identificar conteúdos com IA. Estes detectores utilizam a aprendizagem automática para continuar a identificar conteúdos de IA, mesmo quando a tecnologia para produzir este texto evolui.

O Google considera o conteúdo de IA spam?

A Google não considera todo o conteúdo de IA como spam. Se violar as políticas anti-spam da Google, pode ser assinalado como tal. Alguns conteúdos de IA, como as críticas escritas por IA, são considerados spam pela Google.

O Google penaliza o conteúdo de IA?

Não, o Google não o penalizará por utilizar conteúdo de IA. O seu conteúdo provavelmente não terá uma classificação elevada, uma vez que a maior parte do conteúdo de IA não satisfaz os requisitos E-E-A-T do Google para a classificação SEO.

Como é que posso tornar o conteúdo de IA indetetável?

Utilizando um programa como o Undetectable.AI que reorganiza o seu conteúdo para passar pelos detectores de IA e parecer escrito por humanos. O Undetectable.AI não só altera a sua redação, como também reestrutura o seu texto para evitar ser assinalado por sintaxe previsível, que é uma caraterística dos conteúdos de IA.

Conclusão

Quando se trata do Google, temos de perceber que eles sabem o que estão a fazer. A resposta a "O Google pode detetar conteúdo de IA?" é um retumbante sim.

O Google consegue identificar definitivamente o conteúdo de IA com os seus algoritmos avançados e tecnologia de aprendizagem automática. Apesar disso, o Google não o penaliza por utilizar conteúdo de IA no seu site. Porque é que acha que isto acontece?

Em dezembro de 2022, o Google mudou os objetivos dos criadores que usam IA para produzir conteúdo. Em vez de proibir totalmente o conteúdo de IA, o Google introduziu diretrizes rígidas para o E-E-A-T, que agora é a força motriz por trás da classificação do conteúdo. As ferramentas de escrita de IA não têm a capacidade de incorporar E-E-A-T de forma competente.

Assim, chegamos a uma afirmação condicional interessante. O Google não penaliza diretamente o conteúdo de IA, mas pode detectá-lo. Por enquanto, o conteúdo de IA geralmente não satisfaz o E-E-A-T. Para obter uma classificação elevada no Google, é necessário cumprir as directrizes E-E-A-T.

É claro que isso vai mudar à medida que as ferramentas de escrita de IA e os modelos de linguagem continuarem a avançar. Até lá, editar texto escrito com IA ou passá-lo por uma ferramenta como Undetectable.AI são as suas melhores apostas se quiser aproveitar a IA para produzir o seu conteúdo.

Clique aqui para aceder à ferramenta e tirar partido da IA sem penalizações.

IA indetetável (TM)