Como saber se a IA escreveu um ensaio: 5 Métodos Eficazes

Nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro de 2016, O jornal Washington Post optou por utilizar a narração automatizada para a cobertura do evento.

Criaram uma plataforma digital exclusiva com Ferramentas de criação de conteúdos com IA que as editoras actuais necessitam.

Graças à sua plataforma, os redactores podem produzir mais de 850 histórias. Isto coloca-os acima dos outros quando se trata de fornecer cobertura, tornando-os uma escolha de topo para os leitores.

É assim que Conteúdo gerado por IA é feito corretamente. Ter narrativas oportunas a par dos relatórios tradicionais é uma utilização inteligente da tecnologia.

Dito isto, tal como a maioria das grandes coisas, a IA também pode ser abusada.

Enquanto educador profissional, investigador ou apenas um leitor curioso, é importante saberes como saber se a IA escreveu um ensaio.

Devido ao avanço da criação de conteúdos com IA, pode não ser fácil distinguir, à primeira vista, o que é humano e o que é gerado por IA.

Aqui está tudo o que precisas de saber sobre a deteção de conteúdos com IA.

5 estratégias para identificar redações escritas por IA

A IA já percorreu um longo caminho, que remonta à década de 1950, com Alan Turing. O Teste de Turing foi utilizado para medir a capacidade de uma máquina mostrar uma inteligência semelhante à humana.

cronologia da inteligência artificial

Basicamente, se uma máquina consegue interagir com um humano sem ser detectada como uma máquina, passa no teste.

Décadas mais tarde, a IA é agora utilizada para a criação de conteúdos.

Tudo isto graças à forma como a tecnologia evoluiu com o processamento de linguagem natural (PNL) e outros algoritmos de aprendizagem automática que podem analisar grandes quantidades de dados e criar respostas semelhantes às humanas.

A IA é agora amplamente utilizada, especialmente em contextos académicos. Sem uma utilização responsável da IA, a autenticidade e a transparência que as instituições protegem ficam manchadas.

Mesmo em admissão na faculdadePor isso, saber como saber se um ensaio é gerado por IA está a tornar-se uma prioridade.

As faculdades e universidades estão a tomar medidas proactivas para evitar que a IA influencie as decisões de admissão.

Estão agora a investir em ferramentas e a planear múltiplas estratégias para impedir a apresentação de material escrito por IA.

Para te ajudar com este desafio, eis cinco estratégias eficazes para identificar conteúdo escrito por IA.

1. Utilizar ferramentas de deteção de conteúdos com IA

Imagina que um professor recebe um grande lote de trabalhos de alunos enviados por via eletrónica.

Ao revê-las, repara que uma delas tem um estilo de escrita muito invulgar. Com o volume de trabalho que tem em mãos, verificar manualmente pode ser um incómodo.

Graças às ferramentas de deteção de conteúdos com IA, pode facilmente enviar o texto e verificar.

Isto permite-lhe identificar os trabalhos que podem necessitar de uma análise mais aprofundada, garantindo que a integridade académica e a justiça da classificação permanecem intactas.

Lembra-te que vivemos numa época em que Plágio de IA existe de facto.

Por exemplo, um detetor de conteúdo de IA altamente classificado como IA indetetável consegue detetar conteúdos de IA com uma precisão inigualável.

Página inicial do detetor e humanizador undetectable ai

Consegue encontrar rapidamente inconsistências, desvios e linguagem não natural em segundos - tudo isto envolto numa interface fácil de utilizar.

Eis algumas das formas como os detectores de IA, como o Undetectable AI, são normalmente utilizados.

  • As instituições de ensino e as plataformas académicas podem utilizar ferramentas de deteção de conteúdos com IA para analisar os trabalhos apresentados pelos estudantes.
  • Os editores, os meios de comunicação social e os criadores de conteúdos utilizam a deteção de conteúdos com IA para avaliar a autenticidade dos seus conteúdos escritos antes de serem publicados.
  • Os investigadores e os académicos confiam nas ferramentas de deteção de conteúdos da IA para evitar a propagação de desinformação ou de conclusões inexactas.
  • Para além de identificar apenas ensaios escritos por IA, a deteção de conteúdos por IA inclui a comparação de uma vasta base de dados de conteúdos para garantir que o texto escrito não é plagiado.
  • Os produtores de conteúdos e os profissionais de marketing tiram partido das ferramentas de IA para preservar a reputação da marca, verificando se o estilo de escrita e o tom não são inconsistentes.
  • As ferramentas de deteção de conteúdos de IA ajudam a verificar a autenticidade de documentos escritos e a manter a conformidade com as leis de propriedade intelectual.

Com a utilização de ferramentas de deteção de conteúdos de IA, será muito mais fácil para as instituições e organizações adaptarem-se ao aumento da utilização da IA em várias profissões.

Mas quando a IA é utilizada corretamente, pode ajudar a automatizar processos, reduzir o trabalho de rotina e dar aos profissionais a possibilidade de trabalharem mais no que tem impacto.

É um movimento combinado que vale a pena fazeres um esforço.

2. Analisar o tom e o estilo

Uma forma simples mas eficaz de saber se um ensaio é gerado por IA é ver como soa o conteúdo escrito.

Normalmente, podes estar atento a estes sinais de alerta.

  • As verdadeiras redacções escritas por humanos mostram normalmente algum tipo de "variabilidade natural". Isto significa que há um tom que é específico do escritor, tornando-o exclusivamente seu.
  • Os geradores de conteúdos de IA têm muita dificuldade em incorporar emoções humanas nos seus conteúdos. Estes geradores criam conteúdos puramente com base num pedido e, normalmente, parecem muito genéricos e, por mais cliché que pareça, robóticos.
  • Falta experiências relacionáveis e novas perspectivas, parecendo que o texto foi parafraseado de um artigo já existente.
  • A IA não é capaz de aprofundar temas complexos. Há uma enorme falta de sofisticação no estilo de escrita, sendo incapaz de fornecer análises, interpretações e percepções claras.

Ao aperfeiçoares as tuas capacidades de observação, tu, como leitor humano, podes detetar instintivamente estas subtis nuances.

Embora as ferramentas automatizadas possam, sem dúvida, ajudar a identificar redacções escritas por IA, o poder da observação humana nunca desaparece.

3. Identificar a falta de contacto pessoal

Quando se trata de escrever, o toque pessoal é o estilo único que torna uma obra escrita exclusivamente do autor.

É a voz do indivíduo e a ligação com o leitor que fazem com que os ensaios pareçam reais. É por isso que identificar a falta de um toque pessoal é uma das melhores formas de saber se algo é gerado por IA.

Enquanto as ferramentas de IA como ChatGPT certamente promissoras para o futuro da investigação académica, os autores e investigadores devem reconhecer que as actuais limitações devem ser abordadas com cautela.

chatgpt para assistente em aplicações universitárias

Como H. Holden Thorp, chefe de redação do Ciência da família de jornais, salienta que "o ChatGPT é divertido, mas não é um autor".

Embora as ferramentas de conteúdo de IA possam ser úteis para a inspiração e a geração de ideias, temos de pensar eticamente e garantir que o conteúdo que produzimos permanece exato e fiável.

4. Detecta linguagem repetitiva

Um dos maiores sinais reveladores de conteúdo gerado por IA é a linguagem repetitiva. Os algoritmos de IA baseiam-se fortemente em padrões e modelos estabelecidos para produzir texto.

Como resultado, o conteúdo gerado pela IA apresenta normalmente muitas repetições, o que mostra a limitação da programação do algoritmo.

Logo de início, repara que o texto é monótono. Isto deve-se ao facto de os textos e frases repetitivos utilizados serem também genéricos.

A IA tem um vocabulário limitado para gerar textos, que se destacam quando os lês.

Embora a repetição de palavras não signifique automaticamente que se trata de um conteúdo de IA, é uma ação suplementar que podes ter em conta para saber se o conteúdo escrito parece estar errado.

5. Avalia a exatidão e a pertinência

Se deres instruções a um gerador de conteúdos de IA para fornecer uma estatística sobre o número de pessoas que acordam do sono e descem as escadas para beber um copo de leite, é muito provável que o faça.

Mas o que não faz é verificar se a informação que acabou de fornecer está correcta ou se existe mesmo.

Os dados que a IA fornece são apenas os dados da sua base de dados. Isto significa que a informação pode estar desactualizada.

Também pode haver incoerências e até preconceitos, dependendo da origem dos dados.

É assustador pensar que o conteúdo gerado pela IA pode ser assustadoramente convincente.

As pessoas são 3% menos provável para detetar informações inexactas quando o conteúdo é escrito com IA, porque a IA torna o conteúdo condensado e fácil de processar.

É por isso que é importante ter cuidado com a forma como utilizas a informação online.

Importância de distinguir entre ensaios criados por humanos e por IA

Em suma, é importante reconhecer as diferenças entre o conteúdo humano e o conteúdo de IA para manter a autenticidade, impedir a desinformação e evitar o plágio.

Eis um resumo das razões pelas quais deves distinguir o trabalho humano do trabalho com IA.

  • Evita o plágio e assegura que os alunos sejam reconhecidos pelo seu trabalho original.
  • Preserva a credibilidade dos trabalhos publicados, dos resultados de investigação e das peças jornalísticas.
  • Combate a propagação de notícias falsas em linha.
  • Esclarecer a origem dos ensaios apoia as práticas éticas de escrita e publicação.

Tem em atenção que isto não significa que devamos proibir completamente a utilização da IA.

Devemos incentivar a inovação responsável neste domínio e encontrar o equilíbrio entre a utilização da tecnologia de IA para fins de eficiência e a capacidade de manter o valor único da criatividade e expressão humanas.

Como humanizar os teus ensaios com Undetectable

Saber como saber se a IA escreveu um ensaio demora muito tempo quando é feito manualmente, mas, felizmente, ferramentas como IA indetetável existem para te facilitar a vida. Basta colar o texto e já está.

Como humanizar os teus ensaios com Undetectable

Mas se estiveste a pesquisar e encontraste algumas ideias fantásticas com a ajuda da IA, podes utilizar o nosso humanizador de IA para garantir que qualquer texto que escrevas permanece real. Esta dupla funcionalidade oferece-te paz de espírito.

Cria ensaios autênticos e cativantes com confiança, tudo isto sem teres de sacrificar o toque pessoal que distingue a escrita humana.

Com ambas as ferramentas disponíveis numa única plataforma, podes desfrutar de ainda mais criatividade, eficiência e fiabilidade quando escreves.

Conclusão

Com alguma intuição humana, podes identificar se um trabalho escrito é feito por um humano ou por uma IA. Com estas estratégias, podes ter mais confiança nas informações que lês.

Mas não faz mal considerar a utilização de ferramentas de deteção de conteúdos com IA para facilitar o processo.

Pode ser demorado fazer todo o trabalho manualmente, por isso, ter o Undetectable ao teu lado é uma boa ideia.

Com as suas capacidades avançadas de deteção de IA e características de humanização, o Undetectable permite-te distinguir entre ensaios humanos e de IA em apenas alguns segundos.

Vivemos numa época em que os conteúdos gerados por humanos e por IA continuam a confundir-se, por isso, se nos mantivermos informados e adoptarmos uma abordagem proactiva, podemos proteger-nos da desinformação e, ao mesmo tempo, maximizar as vantagens da tecnologia de IA para a criação de conteúdos.

IA indetetável (TM)